Think For Yourself

sentimentos pessimistas vindos de algum lugar do subúrbio.

"Só de pensar nela já me vem jazz e um dia nublado na cidade enrolados em uma exposição aleatória, provavelmente iríamos a mostra do Hitchcook e logo depois tomar um café na bela cintra, coisas que seus parentes sabiam que você fazia, eres culta de criação e a primeira grande paixão de um jovem artista, com grande potencial porém um pouco frustrando. Em dias frios de julho a gente colocava chopin na vitrola e discutíamos sobre cineastas da nouvelle vogue, ela ia de Godard e eu ia de Truffaut, toda essa contradição tornava nossa relação ainda mais intensa, ela odiava comédias românticas atuais porém gostava de alguns blockbusters, fui tentar entender e quase louco fiquei. Isso tudo é tão belo, mas hoje estou aqui em meu quarto gelado na zona oeste e ela está em seu quarto quente na zona central. Não sei porque deixei você partir, acho que a corrupção do subúrbio tomou conta de meus pensamentos, hoje lamento por não ter você aqui, e neste exato momento toca na alpha fm ” como vai você, eu preciso saber da sua vida…” esses sentimentos reais são maravilhosos, chegam a parecer irreais, parece que vivemos um filme de Woody Allen querida, aqueles 31 que a gente assistiu juntinho quando eu dizia ter ido andar de skate. Como você sabe a escrita foi sempre minha escapatória dessa realidade que vivo, admito que aquilo que vi nos filmes quase vivi com você, quase sem querer. Não irei revisar este texto, já está tarde e as madrugadas já não fazem mais sentido sem você, se cuida Juliana, teus fios louros e seu cheiro doce fazem falta em minhas blusas de frio"

Trecho de “Cartas de um futuro nulo”
de Lucas Machado.


A vida.

Você nasce a partir de uma gravidez indesejada. 

Nada de mais, isso já é normal, é rotina.

Um bebe bonito porém irritante.

Todos os bebes são bonitos ? Eu não acho.

Sorrisos e elogios mascaram tristeza e decepção. 

Você nem sabe de nada, que maravilha.

Crianças, vindas diretas do inferno.

Aqui talvez já tenham se acostumado com você.

Senão, já teriam te jogado fora.

Poucos são corajosos o suficiente para não aceitar algo.

Ainda mais algo que respira.

Nessa fase é só alegria.

Para você é claro.

Para os adultos é um inferno.

Da qual eles gostariam de nunca mais voltar.

Caramba você sobreviveu até aqui?

Bem vindo a maldita adolescência.

Sexo, drogas e rock ‘n’ roll.

Aqui somos um lixo.

Só fazemos coisa errada, só queremos cair na estrada.

Uns se contentam em ficar no bairro.

Foda-se esses fracassados, eu vou viver.

E vivi, me fudi.

Escola ? Vadias e conversa jogada fora.

Melhor lugar não existe.

O único que não me deixava triste.

Agora ela acabou.

Começa a vida adulta.

Aqui você já está em decomposição.

Se você chegou até aqui, meus parabéns.

Se prepare para o inferno de verdade.

Você não vai trabalhar com o que você gosta.

Você vai ter que estudar o que os outros gostam.

Mas você não estudou na escola.

Vai ter que pagar faculdade.

Vai ter que trabalhar.

E não vai ter tempo de estudar.

Foda-se, “todo mundo faz isso”.

Eu não conheço nenhum.

Mas tudo bem.

Entre trabalhar e morrer.

Prefiro deixar isso pra lá.

Vamos vamos vamos trabalhe garotão.

Mostre que você não tem medo.

Eles prometeram que você teria futuro.

E você idiota acreditou.

Só não tem futuro quem já morreu.

HAHAHAHAHA

Vamos vamos vamos trabalhe garotão.

Veja sua vida sendo jogada no lixo

Não adianta falar que foi culpa dos outros.

Foi tudo culpa sua, seu lixo.

Se você tivesse estudado, seria o mesmo lixo que é agora.

É difícil aceitar o fracasso não é ?

Você confiou em tanta gente.

Você foi humilde com tanta gente.

Você ajudou tanta gente.

Você é um imbecil !

Vá pra puta que o pariu !

Você vai engravidar uma vadia qualquer.

Agora você ta fudido.

Vida meu amigo? HAHA, agora você é apenas um robô.

Tu já era um.

Se fode ae.

Só dor de cabeça né.

E tudo aquilo que você queria.

Queimou.

Evaporou.

 E se perdeu no espaço.

Agora você morre.

E dorme para sempre.

MAS QUE VIDA DE MERDA EM.

Seus filhos nem vão sentir sua falta.

Seu pai agradece por você ter ido primeiro que ele

E sua mulher vai receber uma graninha.

Para gastar com coisas de vadia.

Agora você dorme para sempre.

Seu inútil.

Talvez se você tivesse feito o que gostava.

Você até estaria vivo.

Talvez se nunca tivesse escutado os outros.

Seria feliz na vida.

Mas o talvez não vale mais nada.

Você está morto agora.

Não pode fazer mais nada.

Adeus.


Fleshy.

Querida Fleshy,

Nem ao menos sei seu nome, claro que é de suma importância, porém você nunca me diz.. Poderia começar falando de seus olhos, neles encontrei sua alma, que surpreendentemente tem uma cor que jamais havia visto em outro lugar, é uma mistura de céu e mar, foi como descobrir um novo mundo, em uma distante galaxia. E meu coração não acelerou apenas por isso, mas sim pelo conjunto da obra, seus longos cabelos, seu corpo… E algo que me acalma a alma, o seu sorriso. Não só o brilho, o som de seu riso me leva ao nirvana, é tão belo, não consigo classificar, volto a dizer, é como algo completamente novo, da qual nunca havia ouvido antes. Quando começou a me mostrar seus gostos musicais, senti que estava em um sonho, todos aqueles flashbacks, que achava que só eu ouvia, você ouvia também. Mas do que amor, em você encontrei o meu reflexo, me deu arrepios , conhecer alguém como você. Palavras difíceis, complicadas, embaraçosas, enfim, só quero que entenda, que você é unica, você é peça rara, um alguém que não merece ser menosprezada, de uma beleza demasiada, e um sorriso vistoso que me deixa louco. Não caia na solidão, se precisar de um amigo, estou aqui, amigo, pois comprometido já sou.

- Mr L. Wolf.


Green house

Fui jogado para o sul, transportado de meu querido oeste, naquele novo mundo encontrei alguém que já me era familiar, que já conhecia meu olhar de amor e ódio. Naqueles cabelos dourados existia muito mais do que beleza, ela era fora do normal, assim como, eu. Parece até aqueles roteiros mal escritos, furos inusitados, mas não chega nem perto, isso aconteceu no meio da cidade que nunca dorme, no lugar onde poucos sonham e muitos passam fome.

Seu sobrenome despertava meu espirito, no meio dele havia Alma e uma mistura de letras que criava um som oriental. Não foi por ele que me apaixonei, muito pelo contrario, foi por uma menina ousada, independente, digna de ser amada. Sete, 7 fotos suas carregava comigo, cada uma representava uma emoção ou os sete pecados capitais, os sete defeitos criados pela sociedade que só faziam crescer meu carinho por ela. Diziam que ela não era muito bem como eu descrevia, alguns pensavam que era magia, que estava cego, bom, que cego continue pois andando assim no escuro estou prestes a me encontrar. Fechava os olhos e mergulhava na imensidão de minha insanidade, com você construía vilas, impérios, cidades, no final a sua luz sempre me guiava para o melhor lugar, tudo ao seu lado brilhava como diamante, como o sol em um dia quente de verão.

Me perdi nas palavras, falar de você me deixa melancólico, me leva de volta a um tempo memorável, onde meu único vício, meu único desejo, era de ter você ao meu lado, sentar com você em uma certa avenida movimentada e observar as malditas pessoas viverem suas vidas miseráveis, os carros buzinarem, e as luzes acenderem, acenderem um novo mundo, um mundo luminoso. Vivíamos vidas tão extraordinárias, o mundo se resumia em somente eu e você, você e eu, cada segundo ao seu lado era precioso, cada segundo de seu amor era como o valor que o ouro tem para os meros mortais, simplesmente não queria ir a lugar algum sem você, segurava sua mão para que nunca me desse um adeus, sabia que não resistiria a um adeus.

O perfume natural de sua pele era exclusivo, poderia lhe encontrar em qualquer lugar do mundo, universo. Aquele seu olhar de quando sentia medo de me perder, adorava aquele olhar, só que sabia que se sentia mal, e o seu mal era o meu mal, então parei de provocar. Assim como também me encantavam suas lagrimas, sempre carregadas de verdade, emoção,  sonhos, medos, desejos, indecisão… Quando encontrava você de cabeça baixa colava perto de seu ouvido e sussurrava, “Ninguém nunca vai ter amar como eu te amo”, e você logo despertava ao sentir a vibração de minha voz, porém o que lhe arrepiava o corpo eram as palavras, pois você sabia que eram mais verdadeiras do que a certeza da morte.

Dediquei pinturas, poesias e musicas para você, na verdade, toda arte que fazia só era possível graças a você, tudo que fiz na vida no final carregava uma dedicatória a você, era tudo por você e não me canso de repetir. Tudo de bom que carregava comigo guardava para ti, me entregava de corpo e alma, era muito mais que amor, não existia definição para o sentimento que carregava por você.

Uma casa não é uma lar, teu corpo era meu lar, onde quer você estivesse, ao seu lado estaria em meu lar. Meu lar foi ficando cada vez mais frio, acabou fugindo com a noite, com a escuridão, meu amor se perdeu nas luzes de neon que acercam as noites da cidade, meu amor se perdeu no meio das pessoas que vivem sem emoção, minha menina estava se tornando uma mulher. Meu pequeno canarinho se tornava uma ave livre, era difícil de lidar, muito difícil de aceitar, aquela que cresceu ao meu lado, o amor de minha adolescência estava agora livre para voar.

Naquela noite não dei para ela amor, descarreguei nela o meu ódio, o maior erro que um dia cometi, ela olhou profundamente dentro de meus escuros olhos e se virou, bateu a porta e me largou, o dois de nos acabara de se tornar um. Meu coração sozinho era um caipira na cidade, um animal silvestre na amazônia selvagem, desse mundo eu só conhecia o “Eu & Ela” o resto imaginava ser apenas figurantes, tudo aquilo que apenas completa o cenário, que da vida ao teatro. Logo percebi que as lagrimas não ajudavam em nada, que as noite viradas ao som da jovem guarda não valiam mais do que uma roupa usada, amassada, suja.

Os anos passaram, e nesse meio tempo contei os segundos, os dias, os meses, cada milésimo sem você era como um tiro certeiro no peito, me deixava sem folego, que luz branca que nada, tudo que via era um infinito túnel assombroso e negro. Me perguntava aonde estaria meu amor, o que ela pensaria enquanto estava deitada em sua  cama em uma noite fria de verão, queria poder olhar através de sua mente, espiar suas férias no sul do pais, seus passeios pela cidade, observar sua reação ao pisar nos locais onde escrevi seu nome e o meu dentro de um coração, o cadeado que lacramos em uma ponte cuja chave se perdeu entre milhares de outros amores naquele rio. Andei fazendo algumas pinturas sobre você, poesias e músicas, até mesmo escrevi seu nome em meu peito, como um velho marinheiro, com uma tinta eterna colocada lentamente através de milhares de agulhadas. Soube que você iria se casar, com um cara de boa família, um milionário, não me esquento, você merece o melhor, só gostaria que você se lembra-se de quem você realmente é, aquela menininha ingênua que conhecia como a palma de minha mão.

No final descobri que tudo isso era mentira, tudo criado pela mente perversa de um português safado que nunca tirava os olhos de você. Apesar do susto, cai em gargalhada, me sujei de tinta, rolei no chão e pulei, de felicidade, fui até dar uma voltinha na cidade, sabia que você havia voltado, a garota dos meus textos estava de volta a cidade. Naquela mesma praça com fonte, onde as crianças se divertem e os idosos se esquecem de seus problemas em uma partida de xadrez, no cruzamento das duas ruas onde morávamos, ruas opostas que nos criaram e nos uniram. Você estava lá sentada, cabelos dourados ao vento, a mesma pele clara, com o vestido florido que te dei em nossa viagem ao litoral, dias quente. Era aquela mesma menininha que me apaixonei, de pernas cruzadas com um livro de Nabokov na mão. Respirei, ajeitei a camisa, os cabelos, olhei para os dois lados como se fosse atravessar uma rua de mão dupla, de um lado um lado vinha um furgão preto dizendo não, e do outro um Cadillac branco que dizia “vai nessa irmão”. Respirei fundo novamente, me aproximei lentamente por trás dela, senti o cheiro dela,  cheguei por trás de sua orelha e disse aquelas palavras que só nos conhecíamos; “Ninguém nunca vai ter amar como eu te amo”. Ela roubou por um segundo todo o ar de nosso mundo e soltou, senti meu coração voltar a bater, seus profundos olhos castanhos respondiam a todas as minhas perguntas, tornavam eterna a chama de nosso amor, seus olhos traziam o “Eu & Você” de volta a vida, o resto é mito…


Uma ultima ligação noturna…

Precisava dizer o quão grande foi o impacto dessa experiencia, agora com uma percepção apurada, sinto de imediato as “perdas” diárias, momentos que gostaria que durassem mais que o rolo de filme da câmera, o “corta” me dói agora, diretamente na alma. Mas o que me deixa feliz é sentir que fiz parte de algo, que apesar de finalizado aquilo ficara ali para sempre, será derrubado junto com os destroços da cidade e reconstruído em uma São Paulo futurista, eternamente.


Paradoxo da arte.

Já fui bem mais criativo, mas me mandaram ser realista 

Realista me tornei ao me mandarem ser criativo

Arte não fui estudar pois disseram que não precisa

Quando estudei a arte disseram que nada sei

Minhas técnicas aprendi todas em folhas de revistas 

Um velho sábio me disse pra aprender no atelie 

Alguém me disse que o artista desenvolve o seu próprio traço

Quando desenvolvi meu traço disseram pra me reinventar

Assim como fez o Pablo de nome extenso, Picasso

Não da uma de Romero, faz arte só pra ganhar

Arte fiz para demonstrar meus mais profundos sentimentos

E disseram que com isso, algum dinheiro havia de levar

No fim de tudo, nem dinheiro, nem arte levei

Aprendi que o modo certo é agir e não escutar 

Viva a arte !

-Lucas 


Aniversário de um Urbanóide.

Cartazes colados embaixo do viaduto, divulgando o produto do artista, sua vida em forma de jornal aberto, exposta diretamente ao proletário. Não me recordo se fazia frio ou calor, calor não penetrava no frio de minha alma, era fácil de se confundir. Os becos do centro sempre foram os mesmo, hoje cheios de imigrantes, outrora cheios de ambulantes O light é de uma beleza imensa, por fora e por dentro, talvez não seja tudo isso, deve ser a imagem que minha mente construiu, sobre aqueles dias cinzas e vazios.

Quase sempre era na Americanas. Moto, carro, moto, eram os meus preferidos, mas admirava mesmo os VHS, o cinema vem desde cedo, lá pelos 6/7 anos, me encantava com o encarte, só conhecia o regravável, aquela fita preta sem graça, cheguei até a destruir algumas só pra sentir o cheiro da fita magnética, me enrolava todo nela. Os originais eram um absurdo de beleza, me perdia naqueles corredores amontoados de histórias, memórias que carregarei para sempre comigo.

Sempre contemplava algo legal, se não me engano levei um tipo de robô e um cd dourado do Elvis. O barato mesmo era destruir tudo depois de brincar. Naqueles dias sonhava muito, todo dia inventava uma história, um roteiro diferente, novo mundo. Não me agradavam os parabéns, talvez gostasse dos doces, sentia que aquele era um momento só meu, um momento de reflexão, sobre parar de ficar de castigo por imitar comediantes e atores de ação em sala aula.

Esses foram os aniversários, chatos, pacatos, tão prazerosos que já nem me recordo, só recordo deste que acabei de relatar, provavelmente foi no ano 2000, em fevereiro, mês cabreiro, cinza de chuva, sei-lá.


Ibira tira minha birra e me trás de volta o meu lar.

Suspiros quentes em dias frios, chá quente, blues e filmes , ao lado dela sentia meu coração queimar, arder, pular. Quando ela tirou os óculos mergulhei naquele imenso oceano cor de outono, o louro de seus fios mais parecia ouro, em dias escuros o mesmo dourado me tirava da escuridão, me dava a mão e me puxava do subúrbio. Na noite as criaturas saiam para conhecer o mundo, em uma dessas saidinhas conheci você.

Era Um corpo que cai, a película do mestre, do pai da 7º, ninguém que me conhece, conhece essa obra, mas você conhecia, porém não te conhecia, parei, pensei, suspirei e fui, senti o cheiro da burguesia, cheiro de gente rica, gente que nunca me atraiu, mas ela era muito mais que rica, era rica em beleza, rica em cultura, ela era minha cura, meu passaporte para o eterno, para o que a de mais belo nessa cidade.

Cidade cinza que se tornou colorida, de tons frios para quentes, meu vermelho desbotado já era tão chapado que não enxergava mais nem o sofrimento do azul. Intrigante era a vista do seu apê, eu que achava que conhecia a cidade, da cidade não conhecia nada, era muita informação, muita luz pro coração, cheguei até a me perguntar, será que é sonho ? Será ? Será ? Puxei o ar para dentro, com o ar veio doce, aquele doce inconfundível, aquele cheiro não era de perfume, o doce vinha do corpo dela.

Procurava por um lugar novo para recomeçar, girei, girei e encontrei, meu Match Point é aqui, agora. Me lembro que seus país nem paravam em casa, ficava na sala admirando a vista, o parque, os turistas, turista eu, que me sentia perdido, dentro de minha própria vida, desnorteado em minha própria realidade.

Conseguia ouvir seus passos, seu movimento, ao som de Chet baker, ela dançava com o vento, e eu ficava a admirar, ficava com medo de tudo aquilo um dia acabar.

Já não aguentava mais minha situação, tudo com ela era de verdade, infelizmente só por um momento, quando da ponte passava, morriam meus sonhos, sonhos medonhos com o subúrbio eram frequentes, decadentes, naquelas noites rezei, pedi a alguém para me ajudar. Meu próprio desespero acabou comigo, o maldito inimigo interno veio e me fez falhar, “Você não queria nada” na verdade eu queria tudo, mas você vivia em um bairro com quarterões simétricos, enquanto eu subia becos sujos, droga, ela não ligava, NÃO.

O silêncio nos afastou, ainda penso no que passa em sua cabeça quando deita em sua cama fria e vazia, me arrependi de não assumir que você era tudo para mim, tinha medo, assim como um amontoado de pixeis, só se enxerga a imagem quando afastado, afastado de você enxerguei, tudo aquilo que quero para a vida, para a eternidade, minha felicidade é ela, se for ela que lê, minha felicidade é você !

-Lucas


Dia frio.

"Logo que chegou do trabalho, encontrou em meio as contas atrasadas, uma fotografia de quando era jovem, sua ex-mulher havia deixado ela lá, antes de ir embora. Sentou-se na beira da cama e lembrou de seus melhores momentos, dos amigos, das garotas, das aventuras. Sentiu uma melancolia, uma extrema sensação de frio, caminhou até a varanda e olhou para o céu, percebeu que não é mais bom em nada, que não tem mais utilidade, que toda aquela euforia não existe mais,  que agora, tudo o que ele um dia foi ou fez, não importa. Ele então aceita que, o que resta é voltar para o desconhecido, é hora de voltar para casa, é hora de voltar para a escuridão…"

-Lucas.


Nostalgia.

Ultimamente tenho me pegado a pensar no passado, passado, meu querido passado, momentos que nem mesmo sei se foram de verdade, será que são apenas invenções de minha mente ? Será mesmo que foi realidade ? Não sei. Doí, queima a alma, da um certo desespero, relembrar daqueles momentos, relembrar que um dia fui, feliz. Foram momentos, dias, semanas, minutos, segundos, ninguém é feliz a todo instante, a felicidade acontece, as vezes, quando você menos espera, quando você nem se lembra mais dela. Agora pense naquele momento único, que você foi feliz, que você fez alguém feliz, faz bem não ? Perceber que por um minuto, fomos felizes ! Sozinhos, com amigos, não importa, ela sempre será a mesma, e você nunca vai notar, só depois, nos seus dias de solidão, dias de depressão, não negue que está sozinho, nascemos e morremos sozinhos, isso não é algo a se temer. A verdade é que, nenhum dinheiro do mundo, nenhuma riqueza ira trazer aqueles dias de volta, o rolo daquele filme foi queimado, quem assistiu, assistiu, quem perdeu nunca verá, a nossa vida é como um filme, um filme que só nós veremos, um filme que só nos entendemos, da qual somente nós mesmos podemos classificar, independente do roteiro ou da direção, valeu a pena a nossa atuação ? Isso é algo que só você pode dizer…


Ignorância é uma benção.

Na maioria das vezes eu gostaria de pensar como o pessoal que conheço. Se contentam com o desemprego, um papo em alguma praça, as mesmas pessoas, a mesma rotina. Se sentem bem com as coisas fúteis da vida e dizem sempre estar trabalhando atrás do sonho, que sonho ? Viver para sempre na quebrada ? Namorar com a mina mais rodada ? Mostrar a moto nova pros colegas que te odiavam? Porra, eu realmente desejaria ter como único objetivo em minha vida, tudo isso ! Me da calafrios só de pensar que certas pessoas levam a vida assim, tudo passa tão rápido, as roupas mudam e as músicas também, mas para eles o que importa e mostrar para os outros o que eles tem. Ostentação de coisas idiotas, tênis, relógio, carro, coisa que qualquer um trabalhando registrado e com um crediário  poderia ter, se essa é sua meta de vida, porra, nem sei o que te dizer ! Mesmo com tudo isso, penso que esse é um bom meio de vida para se levar, não se preocupar com nada, apenas com o que os outros vão pensar, sobre as minhas roupas, sobre o que estou a vestir. Quando a gente começa a ver de verdade o que é a vida, que tudo passa tão rápido, que temos tão pouco tempo, a gente até fica com medo, começa a ficar louco, demente. Por isso as vezes queria ser como esse tipo de gente, que vive em vão, mas me lembro que a vida é muito mais, que sou muito mais capaz, ai eu acordo e volto a viver, na verdade se eu levasse a mesma vida que essas pessoas, eu preferia é morrer.


Hollywood astral.

Se destruindo mentalmente consumindo informação de gente que tanto faz, porra, a construção de projetos em minha mente ultrapassa os limites do pensar, é tridimensional, é um paraíso astral da qual somente eu conheço, um lugar que não tem endereço, e que, se depender de minha boa vontade, ninguém um dia a de colocar o pé lá. Problemas tem soluções, nada faz sentido, são apenas ilusões, assim como as criadas por hollywood, que interferem em nossa atitude, no nosso modo de pensar, melhor deixar pra lá, esse papo de se alienar. Um mundo de virtudes, onde a juventude predomina e anima tudo e todos, um lugar onde o dia não tem hora pra acabar. Você pode ser quem você quiser, pode ser homem, mulher, pode ter um iate, ou simplesmente passear no parque, vai tudo depender de você, daquele antigo, “o que você quer ser quando crescer?”, O meu crescer eu escolhi faz tempo, escolhi viver nesse espaço tempo que eu mesmo posso moldar, criar , separar, tanto faz, aqui encontro minha paz, aqui eu sei que sou capaz.


Críticos.

Não sabemos de onde viemos, e não sabemos para onde vamos, talvez para um lugar bom, ou para lugar nenhum. A vida não vem com nenhum manual de instrução, não existe certo ou errado, é um jogo ? Tem regras ? Não, nenhuma regra é imposta a nos. Mas ai o Homem sábio inventou de colocar regras na vida, regras que duram milhares de anos, o que você deve fazer, não matar, não roubar, até ai tudo bem, e começa a ficar mais banal, começa a virar um manual de instrução, vá para escola, obedeça seus pais, respeite os mais velhos, passe no vestibular, arrume um emprego bom, de preferencia um cargo público, compre a merda do carro mais caro, arrume uma mulher bonita para gastar todo seu dinheiro, tenha filhos, perca os cabelos, fique velho, se aposente, fique reclamando dizendo que sua geração era a melhor que a atual, assim como seus pais também falavam, e os pais deles também… Não tenha sonhos, não pense de mais, existe também o politicamente correto, traduzindo, tudo que você faz é errado, é incorreto, ninguém nunca vai ficar ao seu lado, você vai estar sempre errado, sempre vai ter um amigo que está do seu lado, mas não te apoia em tudo, as vezes corre, vai ter aquele fracassado, que tem uma vida de merda e fica reclamando, critica tudo e todos, mas leva uma vida de merda, é um medíocre. Não quero fazer parte dessa merda toda, sempre fico imaginando se estou sozinho na merda desse mundo, onde todo mundo já nasce com opinião formada, vem tudo pré feito. A internet, puff, todo maldito site que eu frequento, tem um FILHO DA PUTA comentando “esse filme não é bom, eu achei uma bosta, essa música é uma merda, esse livro também” Será que não percebem que cada um tem um gosto? ninguém tem a merda do gosto igual, eu mesmo sempre amplio minha mente para diversos tipos de música, livros, filmes, sempre consigo conversar com alguém, não fico preso só em uma coisa. A e os que vivem do passado, puta que o pariu, o futuro está ai caraleo, vocês não querem fazer parte da nossa geração ? Querem viver uma que já passou ? “Antigamente era assim e era melhor ” Foda-se, se fosse melhor estaria ai até hoje, a tecnologia só melhora as coisas, coisas velhas podem ter valor sentimental para você,  e ninguém é obrigado a gostar também, você não manda nos gostos dos outros porra. Quando gosto de algo tento achar alguém que gostou também para conversar sobre, não fico enchendo o saco dos meus amigos para eles gostarem, eles não são obrigados a gostarem, e se não gostarem pal no cu também, não precisa ficar se explicando, é sim ou não e já era. Acho que já falei merda de mais, que para uns vai ser bom, para outros ruim, é disso que eu estou tentando falar, independente se você gostou ou não, guarde para você, ninguém precisa saber das merdas que passam na nossa mente, não faça algo esperando algo em troca, antes de crítica quem ta no corre, olha pra merda da sua vida e vê o que se fez até agora. As pessoas dão duro para fazer as coisas, e não vai ser um lixo fracassado que vai destruir os sonhos delas, pense nisso, você crítico, para nós que criamos, você é só mais um lixo, uma poeira no planeta, não faz diferença nenhuma


Dreamcatcher

A arte é a forma como expresso o meu interior, os meus sonhos, os meu desejos proibidos, não sou um robô, muito menos uma maquina de xerox, sou um domador de sonhos, dos meus sonhos, não posso transformar seus sonhos em realidade, pois seriam meus e não seus,  cada um tem que buscar sua própria arte, sem medo de fazer errado, não existe certo ou errado na nosso mundo particular, criamos para nos agradar, e se você acha que está errado, é porque ainda tem que melhorar, pois ainda não alcançou o seu desejo, não deixe as pessoas moldarem os seus sonhos, traga eles para a realidade da sua maneira, não jogue seus sonhos na lixeira…


Blues da madrugada

Faz muito tempo que não escrevo, existem momentos na minha vida que considero como : Ligado e Desligado. Quando estou ligado, estou sentindo tudo ao meu redor, fico inspirado com qualquer coisa, seja uma flor nascendo no concreto, seja uma senhora compartilhando um pouco sobre sua vida em uma viagem de trem. Quando estou desligado, sinto que só observo, nada me inspira, mas fico com um olhar bem apurado sobre o mundo, passo a enxergar as coisas com profundidade, mas nada me emociona. Nesse meio tempo de ligado e desligado, eu procuro encontrar o sentido de minha existência, não só da minha, mas de todos os seres vivos nesse universo. As respostas para isso são sempre subjetivas, nunca são a verdade absoluta. A maioria das pessoas não se importa com essa questão, mas eu me importo, e para saciar essa minha vontade de saber mais sobre o desconhecido, eu descobri a arte. Os desenhos, a música, o cinema, a natureza, encontrei um lugar aonde eu me sentia confortável, um lugar onde minha alma repousava enquanto meu coração acelerava, um lugar onde eu podia criar meu próprio universo, e viver o inverso de tudo que você vive. Ao longo dessa minha trajetória no mundo da arte, vi que existe muita maldade, pessoas que tratam a arte como apenas negócios, que acham que são donas da razão, que querem estabelecer um padrão para a arte. Algumas pessoas me colocaram para baixo, me desejaram mal, e eu não conseguia entender, eu apenas fazia do jeito que achava certo, meus desenhos, minhas letras, meus textos, mas sempre tinha alguém para falar que eu estava errado, sempre. Logo passei a perceber que muitas pessoas passam por isso, não, não podemos aceitar como uma coisa normal, ninguém deve mandar em nossa arte a não ser nós mesmo, existem seres humanos cruéis, sem amor, que vivem parasitando, a procura de algo para crescer, para sugar o sangue, culpam os outros pela sua incapacidade e adoram discutir e criticar as pessoas, que na maioria das vezes eles nem conhecem. Eu não sei o porque das pessoas serem assim, se um dia eu já fui ruim a esse ponto com alguém, eu me lamento muito por isso, de agora em diante eu só procuro fazer o bem, chega de procurar pela perfeição, está na hora de prestar atenção em tudo que a vida tem para oferecer, estou me afastando de pessoas pessimistas e de opinião fraca, não quero pessoas sem caráter ao meu lado, estamos aqui todos por um mesmo ideal, de sermos felizes, de aproveitarmos a vida ai máximo, eu não estou aqui para julgar ninguém, se é certo ou errado, o importante é fazer o bem, evoluindo cada dia, e acabando com os padrões, juntos encontraremos a paz, e a beleza desse mundo maravilhoso.